sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

THERAPA ENTREVISTA FILIPE FAÍSCA


Uma das minhas actividades favoritas aqui no Blogue está de volta!
Depois de uma primeira temporada super bem sucedida composta por nomes que representam com nobreza e qualidade o que melhor se faz em Portugal na industria da Moda, não poderia iniciar esta segunda temporada da melhor forma, não só pela admiração que sinto por ele, mas também porque sou uma enorme fã do seu trabalho!!
Filipe Faísca, é uma presença forte e constante no panorama da Moda Nacional, e hoje honra-me com uma entrevista exclusiva para o Blogue.
Enjoy!


THERAPA BY CHARLY: Filipe, como é que a Moda entra na sua vida?
FILIPE FAÍSCA: A Moda para mim não tem um sentido de fora para dentro, mas de dentro para fora. O que por vezes se torna difícil de saber como, mas sem dúvida como um veículo de comunicação para o mundo.

THERAPA BY CHARLY: Como achou a sua identidade como designer?
FILIPE FAÍSCA: Revivendo, repetindo, tomando consciência, escutando-me, confiando na minha intuição. Observando, ouvindo e comunicando com a mestria do meu grupo de influência.

THERAPA BY CHARLY: Qual a principal diferença do Filipe Faísca, no início de carreira, para o actual?
FILIPE FAÍSCA: Mais consciência e tranquilidade!
Tudo acaba e tudo começa.

THERAPA BY CHARLY: Quão importante é para si desafiar-se a si mesmo colecção após colecção?
FILIPE FAÍSCA: Espero ir escapando deste insanidade que nos tira anos de vida e não passa de uma ficção.

THERAPA BY CHARLY: Nos últimos anos, presenciamos mudanças profundas que abalaram os alicerces do sistema da Moda, o modo de comunicação foi alterado, a forma de compra foi alterada. Como é que vê o cenário actual? Quais os pontos positivos e os aspectos negativos desta nova realidade?

FILIPE FAÍSCA: Sou Sagitário, prezo a liberdade, a democracia e os limites. Quero dizer com isto que existem estruturas que dependem de um lápis e outras de várias toneladas.
São mudanças feitas sim, mas em ritmos diferentes. Vocês tem mostrado um trabalho muito útil e real num instante, é uma boa motivação.
Mas atenção aos limites.


THERAPA BY CHARLY: É difícil conciliar o lado comercial e criativo? Valentino disse que atualmente um designer de moda quase que tem que ter mais capacidades de manager do que de criativo. Concorda?
 FILIPE FAÍSCA: Se não se tem capacidade ou perfil é melhor pagar a quem tenha. É de facto indispensável fazer contas de uma forma criativa.

THERAPA BY CHARLY: Pode sucesso e bajulação constante ser perturbador?
FILIPE FAÍSCA: Depende da forma como isso interfere consigo. Mas como tudo, tem os dois lados da moeda.

THERAPA BY CHARLY: Há algum livro/filme/álbum que recomenda a jovens criativos quando estão à procura de inspiração?
FILIPE FAÍSCA: Aqui não vou poder ajudar. Não sei... para mim a Fotografia é a minha vida e o Cinema é o ar que respiro! A Música é o conforto que me envolve, o Desenho é a minha linguagem, a Arte é a inteligência… Vale tudo!
Usem sem piedade a vossa curiosidade. Aqui sim, funciona como motor de arranque.

THERAPA BY CHARLY: Se pudesse unir força com outro designer/marca para uma coleção qual seria o que gostava de colaborar e porquê?
FILIPE FAÍSCA: Certamente com a indústria Têxtil, talvez a RIOPELE a desenhar tecidos. Ou porque não, uma linha de senhora VICRI BY FAISCA. 


THERAPA BY CHARLY: Que características procura quando contrata assistentes?
FILIPE FAÍSCA: Polifacetados, inteligentes, humildes, com sentido de humor e muita energia.

THERAPA BY CHARLY: O que seria se não fosse um Designer?
FILIPE FAÍSCA: Bailarino, desenhador, pintor, ilustrador…Designer de Moda!

THERAPA BY CHARLY: Considera-se perfeccionista?
FILIPE FAÍSCA: Obstinadamente perfeccionista.

 THERAPA BY CHARLY: Isso é um problema, na indústria da Moda, a busca da perfeição?
FILIPE FAÍSCA: Nada é um problema, é uma característica.

THERAPA BY CHARLY: O que acha da nova vanguarda de Designers de Moda? Há algum jovem designer que lhe desperte interesse e que sinta curiosidade em seguir o seu percurso?
FILIPE FAÍSCA: Sim, Davidelfin


THERAPA BY CHARLY: A décima quinta e última pergunta, a sua vida é tudo que desejaria?
FILIPE FAÍSCA: Quinze é um bom número para começar. A minha vida é o que eu quero, a minha vida é o que é. Por exemplo, a minha vida é mais rica consigo a assistir ao meu próximo desfile!


Podem visitar o site deste maravilhoso criativo assim como o seu Facebook nos links disponíveis aqui:




OBRIGADA FILIPE!!
Até breve, 
Charly

2 comentários:

  1. Uma entrevista muito bonita de se ler.... Gostei! Parabéns aos dois!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Daniela :D
      O Filipe é uma inspiração.
      Beijinhos

      Eliminar